Posted in C++, Programação

Exemplo C++ – Comparar duas datas que se encontram armazenadas numa estrutura

 

#include <iostream>
#include <iomanip>
#include <sstream>
#include <string>
using namespace std;
struct mydata
{
    int ano, mes, dia;
    string aaaammdd;
};
int main()
{
    mydata d1, d2;
    ostringstream c1, c2;

    //Definir a primeira data
    d1.ano = 1970;
    d1.mes = 1;
    d1.dia = 9;
    c1 << fixed << setfill('0') << setw(4) << d1.ano << setw(2) << d1.mes << setw(2) << d1.dia;
    d1.aaaammdd = c1.str();
    cout << d1.aaaammdd << endl;

    //Definir a segunda data
    d2.ano = 2015;
    d2.mes = 10;
    d2.dia = 12;
    c2.clear();
    c2 << fixed << setfill('0') << setw(4) << d2.ano << setw(2) << d2.mes << setw(2) << d2.dia;
    d2.aaaammdd = c2.str();
    cout << d2.aaaammdd << endl;

    // Comparar as datas = comparar inteiros :)
    if(d1.aaaammdd < d2.aaaammdd)
        cout << d1.aaaammdd;
    else
        cout << d2.aaaammdd;
    cout << endl;

    return 0;
}

 

Posted in Dicas

Como recuperar todas as mensagens enviadas “acidentalmente” para a pasta lixo(trash) do GMAIL?

A história é muito simples.
Estava a brincar aos filtros no GMail e enviei 12736 mensagens para o lixo!
Numa primeira abordagem, pensei que tinha que selecionar página a página, o que ao 50 de cada vez, me iria durar a noite toda!
E foi aí que reparei …

gmailRecoverFromTrash
Quando selecionamos todas as mensagens e da página visível (ver 1), surge a opção para selecionar todas (ver 2).
Uff … desta vez safei-me :)

Posted in C++, Programação

Dicas sobre manilupação de “strings” em C++ com base na classe “string”

Atenção!

Este artigo não pretende ser exaustivo quanto ao assunto em análise, ou seja, a manipulação de strings tendo como base os objetos da classe string.

Trata-se apenas de um conjunto de dicas muito simples para quem quer fazer um consulta rápida e seguir viagem …

Recomendo a consulta de http://www.cplusplus.com/reference/string/string/

Vou passar diretamente para os exemplos.

#1 – Declaração e leitura de strings

Neste exemplo vou declarar 3 strings e proceder à respetiva inicialização de várias formas distintas.

#include <iostream>
#include <string>
using namespace std;
int main()
{
    string s1;
    string s2("Hello String 2!");
    string s3 = "Hello String 3!";
    string s4( 1, 'z');
    cin >> s1;
    cout << s1 << endl << s2 << endl << s3 << endl << s4 << endl;
    return 0;
}

Continue reading “Dicas sobre manilupação de “strings” em C++ com base na classe “string””

Posted in Culinária

Morcela com Ananás

Não é bem “Morcela com Ananás”, pois um dos ingredientes não mencionado faz a diferença.

Refiro-me às folhinhas de coentros, que para além do verde, dão uma acabamento delicioso a este trio.

Fruto do acaso, acabei com uma morcela nas mãos e, saltando os comentários mal intencionados que vos possam ter atravessado a mente, não sabia muito bem o que lhe fazer.

Nestas alturas, o Google está para o informático, tal com o bacalhau está para a cozinha Portuguesa, tal é o seu estatuto de fiel amigo.

Depois de iniciada a pesquisa, o mais difícil é escolher, e eu acabei por selecionar esta receita do Chefe João Pronto: http://lifestyle.sapo.pt/sabores/receitas/morcela-com-ananas?r=sabores.sapo.pt

Desde já aviso que é delicioso!

Enquanto faço a digestão, aproveito para deixar a recomendação.

morcelaComAnanasECoentros

Posted in C++, Programação

Exemplo C++ – Validar o tipo de dados recebido via cin

Quando estamos a escrever pequenos programas, que utilizam o objeto cin para fazer a leitura de valores, é frequente depararmos com situações deste tipo:

#include <iostream>
using namespace std;
int main()
{
    int nota;
    cin >> nota;
    if(nota<0 || nota>20)
        cout << "Inseriu uma nota inválida" << endl;
    else
        if(nota<10)
            cout << "O aluno foi reprovado" << endl;
        else
            cout << "O aluno foi aprovado" << endl;
    return 0;
}

Se repararem, o programa funciona muito bem se o utilizador for “educadinho”, ou seja, se fornecer apenas números inteiros.

No caso de este ser distraído, ou malandreco, em vez de um número inteiro, os resultados podem ser imprevisíveis. Experimentem e vejam o que acontece para os seguintes exemplos de input:

  • t
  • Z
  • x

Pois é! Todos reprovados, mesmo sem se saber a nota. Nem uma satisfação!

Uma forma muito simples de contornar esta limitação é a seguinte:

#include <iostream>
using namespace std;
int main()
{
    int nota;
    if(!(cin >> nota) || nota<0 || nota>20)
        cout << "Inseriu uma nota inválida" << endl;
    else
        if(nota<10)
            cout << "O aluno foi reprovado" << endl;
        else
            cout << "O aluno foi aprovado" << endl;
    return 0;
}

Atendendo a que nota é uma variável do tipo int, cin >> nota irá devolver o valor lógico falso caso não receba um número inteiro (int).

Assim sendo, basta adicionais mais uma condição ao nosso if!

Posted in Algoritmo, C++, Programação

Construção de algoritmos em Pseudocódigo – enquanto … fazer … fimfazer

Trata-se de uma estrutura de repetição, controlada pela avaliação do valor lógico de uma condição.

Este tipo de estruturas são geralmente designadas por “ciclos“.

enquanto &lt;condição&gt;
fazer
    instrução 1
    instrução 2
    . . .
    instrução n
fimfazer

Assim temos:

  • <condição> é uma expressão lógica que, sendo verdadeira, determina que se voltem a executar as instruções contidas no ciclo. Caso esta expressão tenha o valor lógico falso, o controlo passa para a instução seguinte, sendo o ciclo abandonado.
  • instrução 1 … instrução n  corresponde ao bloco de instruções que vão ser executados em cada iteração (entenda-se iteração como uma “volta”, tendo presente a noção de cliclo).

Este tipo de estrutura tem infinitas aplicações mas, em termos genéricos, podemos afirmar que se utiliza sempre que:

  • pretendermos repetir 0 bloco de instruções um número indeterminado de vezes;
  • o número de iterações, ou seja, o número de vezes que se repete o ciclo, depende do valor lógico da candição;
  • fazendo variar os valores das variáveis que são utilizadas na condição permite controlar o respetivo valor lógico, consequentemente, continuar a iterar ou terminar.

Vamos pensar, a título de exemplo, no seguinte problema:

“Dada uma sequência de números, terminada por um número negativo, calcular a média dos seus elementos.”

Algoritmo em pseudocódigo

Nome MédiaN
Descrição
    Dada uma sequência de números, cujo fim é assinalado por um número
    negativo, este algoritmo calcula a respetiva média.
Variáveis
    contar: Inteiros
    num, soma, média: Real
Início
    contar ← 0
    soma ← 0
    ler (num)
    enquanto ( num >= 0 )
    fazer
        contar ← contar + 1
        soma ← soma + num
        ler (num)
    fimfazer
    média ← soma / contar
    escrever (média)
fim

Seguem-se uma implementação deste problema.

Em linguagem C++

#include <iostream>
using namespace std;
int main()
{
    int contar;
    double num, soma, media;
    contar = 0;
    soma = 0;
    cin >> num;
    while(num >=0)
    {
        contar = contar + 1;
        soma = soma + num;
        cin >> num;
    }
    media = soma/contar;
    cout << media;
    return 0;
}
Anterior Índice Seguinte