O caráter formativo da crise na adoção de software aberto nos sistemas do Estado

A minha leitura de fim de semana foi um pouco chata, pois ler o Diário da República não é uma atividade que se possa considerar divertida.

Falaram-me na Resolução do Conselho de Ministros n.º 12/2012 de 7 de fevereiro, e lá fui ver de que se tratava afinal.

Digamos que o governo diz que vai poupar até 500 milhões de euros à custa da implementação de um plano global de racionalização e redução dos custos da
Administração Pública.

O documento está organizado em torno de cinco eixo e das respetivas vinte e cinco medidas que conduzem à sua implementação.

Entre outras que também considerei interesantes, embora sempre se tratasse de uma “verdade de La Palisse”, a medida 21 pode finalmente ser um indicador de que brevemente, os hábitos de utilização de software nas escolas vão ter que mudar:

8.1 — Medida 21: Adoção de software aberto nos sistemas de informação do Estado
Promover a utilização de software aberto nos sistemas de informação da AP sempre que a maturidade e o custo sejam favoráveis.”

Será desta?

Anúncios

Time for school IT to teach Open Source

” … Everything interesting happening in Information technology is driven by Open Source, enabled by Open Source, or contains a big chunk of Open Source. …”

Ler a versão integral deste artigo em: http://blogs.computerworlduk.com/enterprise-os-how-hard-can-it-be/2010/08/time-for-school-it-to-teach-open-source/

GANTT Project

A necessidade, em primeira mão, seguida pela curiosidade, conduziu-me até esta aplicação.

Como o próprio nome indica, este programa permite elaborar um “Mapa de Gant” de forma bastante rápida e é muito intuitivo. A “Rede de PERT” também se obtém automaticamente a partir de um mapa pré-elaborado.

O facto de ser uma ferramenta simultaneamente multiplataforma e opensource torna-a bastante atractiva para ser utilizada em contexto académico, no qual as Escolas Públicas deviam dar o exemplo.

MySQL Workbench

O que é?
“MySQL Workbench is a cross-platform, visual database design tool developed by MySQL. It is the highly anticipated successor application of the DBDesigner4 project. MySQL Workbench will be available as a native GUI tool on Window, Linux and OS X.”
http://wb.mysql.com/?page_id=6

Pode ser instalado via apt?
Infelizmente ainda não!

Como se instala em Debian “Lenny”?
#1 – Instação prévia de alguns pacotes
apt-get install liblua5.1-0 libzip1 libmysqlclient15off

#2 – Baixar o binário .deb
Abrir a página http://dev.mysql.com/downloads/workbench/
Seleccionar a plataforma Ubuntu Linux
Seleccionar o binário adequado, que no meu caso é  o “Ubuntu Linux 8.04 (x86, 32-bit)”
Verificar se o ficheiro obtido se designa mysql-workbench-oss-5.1.18a-1ubu804-i386.deb

#3 – Instalar o mysql-workbench-oss
dpkg -i mysql-workbench-oss-5.1.18a-1ubu804-i386.deb

#4 – Verificar a instalação
Procurar a aplicação no menu Aplicações > Desenvolvimento

Que motivação?
Diagramas E-R, ferramentas CASE, Sistemas de Gestão de Bases de Dados, MySQL , são apenas uma pequena amostra dos termos com que qualquer iniciado nestas andanças dos Sistemas de Informação acabam por se deparar mais cedo ou mais tarde.
No meu caso, e como estou focado na utilização efectiva de “Software Livre” na sala de aula, aproveitei alguma acalmia em termos de actividade profissional ( a minha profissão é, actualmente,  predominantemente burocrática e parca em tempo para a investigação?!) para procurar novas ferramentas que se adeqúem ao trabalho que pretendo desenvolver.
Esta pesquisa realizou-se focando o objectivo de encontrar uma ferramenta gráfica que me permitisse construir um modelo de uma Base de Dados Relacional, ou seja, o respectivo Diagrama E-R.
Considero que esta ferramenta é ideal para fazer a ligação entre a Teoria e a Prática. Digo isto porque podemos elaborar um Diagrama E-R, fazer a Normalização das Tabelas e, de seguida, representar graficamente o modelo. A partir deste ponto, e recorrendo a uma opção designada de “Forward Engineer…”, podemos criar no servidor MySQL a base de dados correspondente ao nosso modelo.
Também é possível fazer o inverso, ou seja, “Reverse Engineer…”. Neste caso é possível obter uma representação gráfica de uma base de dados já existente.
Para complementar as duas operações anteriores existe outra opção – “Synchronize Model …” – que me permite fazer reflectir as alterações realizadas sobre o modelo na base de dados, e vice-versa.
Nunca escrevi uma aplicação de dimensões sequer médias, e corro até o risco de “estar a falar de cor”, mas esta é, com certeza, uma ferramenta essencial ao desenvolvimento de Sistemas de Informação que pode poupar muito trabalho.

Para os utilizadores de MySQL, esta será certamente uma excelente “bancada de trabalho”!

The Matrix

Já é tarde e ainda ando às voltas pela Internet a tentar perceber porque motivo a maioria das pessoas que utiliza o Windows consegue ser feliz.

De repente,  vem-me à memória um filme antigo do qual quase todos nós já ouvimos falar – The Matrix.

Este filme descreve um futuro no qual a percepção que os Humanos têm da realidade não passa de algo designado por “The Matrix”.

Esta não passa de uma realidade simulada criada com o objectivo de manter calma e submissa a população humana. Tudo isto se passa enquanto o seu calor corporal e actividade eléctrica são utilizados como fonte de energia. (continuar a ler…)

Penso que não é difícil perceber a mensagem que estou a tentar fazer passar.

Estaremos “in The Matrix”?

Bem, se for este o caso, espero que “os Neos” estejam em acção, pois caso contrário estaremos tramados.

Para terminar, e como o humor também tem o dom de transmitir mensagens muito importantes, deixo um vídeo repleto de mensagens mais ou menos subtis.

Sim … Ubuntu, Debian … “whatever”!

Saragoça: Município inicia pilotos com Linux após instalação de OpenOffice.org

No site do pt.openoffice.org encontrei mais uma notícia que nos deve fazer pensar!

A vizinha Espanha leva já uma década de avanço, no mínimo, relativamente à implementação so Software Livre no sector da Administração Pública.

E nós por cá?

http://pt.openoffice.org/news/news_7.htm